Dr. Lísias Nogueira Castilho - Urologista | Fone: (19)32540225 / 3112-4600

Dra. Silvia Diez Castilho - Pediatra | Fone: (19)25136091

Artigos

A disparada da AIDS entre jovens no Brasil

Dados divulgados pelo Departamento de DST, Aids e hepatites virais, do Ministério da Saúde, mostram que a infecção pelo vírus HIV, o vírus da AIDS, cresceu muito no Brasil entre 2006 e 2015 entre os jovens, principalmente homens homossexuais, entre 15 e 29 anos, enquanto que em outras faixas etárias ficou estável ou diminuiu. O crescimento mais impressionante foi entre jovens entre 15 e 19 anos, cerca de 190%.

As razões desse crescimento decorrem de desinformação, desconhecimento do passado, aumento do uso de drogas injetáveis e descaso para com as medidas preventivas, entre várias outras. As entrevistas com os jovens mostram, ainda, que o tremendo medo da AIDS diminuiu. Os jovens acham que há tratamento eficaz e que a infecção não é “assim tão fácil de pegar”. Ledo engano.

Em quase todos os países desenvolvidos há uma notória redução do número de casos novos de infecção pelo HIV, o que aponta para uma extinção da AIDS no planeta nos próximos 15 a 20 anos.  O Brasil e alguns outros países em desenvolvimento da América do Sul estão na contramão do que ocorre no Primeiro Mundo. O Brasil já vem dando sua contribuição negativa para o mundo, que já desistiu de extinguir a AIDS até 2030, como projetado. Os números brasileiros vão obrigar as autoridades sanitárias internacionais a rever suas metas.

Entre as possíveis soluções para combater a AIDS entre os jovens brasileiros, cito algumas:
1-Educação sexual de qualidade: na família, na escola, na igreja, no clube e na mídia social
2-Combate rigoroso às drogas lícitas e ilícitas, na família, principalmente
3-Disponibilização gratuita de preservativos, métodos contraceptivos e seringas descartáveis para os adolescentes e adultos jovens
4-Tratamento dos grupos de risco com PEP (profilaxia pós-exposição) e PreP (profilaxia pré-exposição)

Imprimir Email

0
0
0
s2sdefault