Dr. Lísias Nogueira Castilho - Urologista | Fone: (19)32540225 / 3112-4600

Dra. Silvia Diez Castilho - Pediatra | Fone: (19)25136091

Artigos

Poluição do ar

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Universidade de Bath, no Reino Unido, estabeleceram um novo modelo de estudo da qualidade do ar em todos os países, baseado em dados provenientes de satélites, de dados coletados em transportes aéreos e em estações terrestres. Mais de 3 mil localidades rurais e urbanas são monitoradas continuamente. A informação coletada é apresentada por meio de mapas, destacando as áreas que excedem os limites de poluentes estabelecidos pela OMS. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Universidade de Bath, no Reino Unido, estabeleceram um novo modelo de estudo da qualidade do ar em todos os países, baseado em dados provenientes de satélites, de dados coletados em transportes aéreos e em estações terrestres. Mais de 3 mil localidades rurais e urbanas são monitoradas continuamente. A informação coletada é apresentada por meio de mapas, destacando as áreas que excedem os limites de poluentes estabelecidos pela OMS. 

As divulgações dos dados iniciais, em 2016, sobre a poluição do ar e seu impacto na saúde, estabelecidos por essa nova metodologia, são muito preocupantes. Cerca de 92% da população mundial estão expostos a qualidade de ar que excede os limites de poluição. Cerca 6 milhões de pessoas morrem anualmente em decorrência dessa poluição do ar. As causas são doenças cardiocirculatórias, câncer de pulmão, enfisema pulmonar e acidente vascular cerebral. Cerca de 94% das mortes ocorrem em países de baixa e média renda, especialmente no Oriente. Nos países desenvolvidos os números são bem mais favoráveis, em parte pelo rigor das leis e das pesadas multas aplicadas nas últimas décadas.

As principais fontes poluidoras do ar são as usinas de energia movidas a carvão, as indústrias, a queima de combustível doméstico, a queima de resíduos e a queima de combustível dos meios de transporte.

Diversos estudos apontam para soluções técnicas, que, todavia, têm que enfrentar aspectos políticos e econômicos para sua implantação. Leis rigorosas antipoluidoras para as indústrias, substituição das fontes de energia poluidoras por outras, como a energia eólica e a energia solar, substituição dos carros movidos a combustível por carros elétricos, aumento das ciclovias e reeducação da população. Tudo isso demanda investimento e tempo. Enquanto isso, cerca de 6 milhões de pessoas vão morrer anualmente por conta da poluição do ar.

Imprimir Email

0
0
0
s2sdefault