Dr. Lísias Nogueira Castilho - Urologista | Fone: (19)32540225 / 3112-4600

Dra. Silvia Diez Castilho - Pediatra | Fone: (19)25136091

Artigos

Novembro Azul

Em 1999, um grupo de amigos, num pub, na Austrália, teve a ideia de deixar o bigode crescer durante todo o mês de Novembro, com a finalidade de arrecadar fundos para instituições de caridade e de levar os homens a se conscientizarem sobre os problemas de saúde masculinos, notadamente câncer de próstata e depressão. Cunharam o termo Movember (moustache (bigode) + November (novembro), em inglês). Em muitos lugares do mundo, ainda hoje, deixar barba e bigode crescerem durante o mês de Novembro, para chamar a atenção para o movimento, marcam o movimento original.

Em 2003, também na Austrália, aproveitando os dias 17 de Novembro (Dia Internacional de Combate ao Câncer de Próstata) e 19 de Novembro (Dia Internacional do Homem), criaram o Novembro Azul, que hoje é uma campanha mundial. Em 2004, na Austrália, foi criada uma fundação com o objetivo de promover a caridade patrocinada pelos homens australianos – Movember Foundation Charity.

O câncer de próstata tem sido o foco da campanha no Brasil, talvez porque a campanha tenha sido adotada pela Sociedade Brasileira de Urologia, o que é um erro. Enquanto o câncer de próstata mata 12 mil homens por ano, morrem cerca de 60 mil por homicídio e cerca de 40 mil por acidentes de trânsito. Muitos desses assassinatos e dessas mortes no trânsito estão vinculadas ao consumo excessivo de álcool e de outras drogas. Morrem, ainda, cerca de 50 mil homens por acidente vascular cerebral e um número ainda maior por infarto do miocárdio todos os anos.

Novembro Azul é a oportunidade de se falar sobre a saúde do homem brasileiro, que não vai bem, segundo dados oficiais. Além do câncer de próstata, temos que abordar depressão, suicídio, alcoolismo, tabagismo, abuso de drogas ilícitas, obesidade, sedentarismo, violência, desemprego, homossexualidade/homofobia, demência, osteoporose, disfunção sexual, etc. O homem está longe de ser só uma próstata e merece ser abordado, notadamente pela mídia, de acordo com sua enorme complexidade.

Imprimir Email

0
0
0
s2sdefault