Dr. Lísias Nogueira Castilho -Urologista
Fone: 19-32130301 / 19-32413155
Rua Dr. Albano de Almeida Lima, 489

Jardim Guanabara
Campinas, SP CEP 13073-131


Dra. Silvia Diez Castilho - Pediatra
Fone: 19-25136091
Rua Dr. Emilio Ribas, 805 - CJ 42
Cambuí
Campinas, SP
CEP 13025-142
Convulsão e Febre PDF Imprimir E-mail
Escrito por Dr. Lisias Castilho   

Febre! A febre é um sinal de alerta. Pode ser mais ou menos percebida por meio das mãos ou do rosto de quem examina, mas é melhor caracterizada e medida por meio de um termômetro. A temperatura normal vai até 37 ou 37,5 graus Celsius. Acima disso é febre. E pode chegar a 40 graus ou até um pouco mais. A febre da criança causa grande preocupação a seus pais. Quanto mais alta a temperatura, maior a angústia. Quando os pediatras perguntam o porquê de tamanha agonia diante do estado febril dos filhos, os pais costumam dizer: “A febre está muito alta e tenho medo de que meu filho tenha convulsões.” Em que ponto a febre provoca convulsões? A resposta não é simples, mas a convulsão não resulta necessariamente de febre muito alta. Se a febre é alta, chegando, por exemplo, a uns 39 graus e a criança não teve convulsões, dificilmente terá. A convulsão febril depende mais da rapidez da elevação da temperatura do que do grau da febre. Pode haver convulsão com febre baixa, por exemplo 37,8. Em que idade pode acontecer a convulsão febril? A convulsão febril dificilmente ocorre em bebês com menos de 6 meses de idade. Ela ocorre em crianças em geral após os 6 meses; a incidência cai até os 6 anos; após os 6 anos de idade é raro a criança ter convulsão febril. Outro detalhe que você deve saber: Uma criança de 2 ou 3 anos que já teve vários episódios febris e não convulsionou, dificilmente terá convulsão causada pela febre. Assim, não deixe a febre de seu filho causar medo de convulsões em você. Os sinais de alerta que devem ser valorizados são: Febre acima de 39 e meio, com calafrios, aparecimento de manchas na pele, queda do estado geral e criança gemente. Preste atenção nestes sinais, especialmente se a febre persistir por 2 ou 3 dias. Diante destes sintomas não dê o remédio que a amiga, o curioso ou alguém da família ensinou. Procure o posto de saúde ou o pediatra. Febre é sinal de doença, mas nem toda febre provoca convulsões.