Back

Varizes Pélvicas: Sintomas e Tratamento

Varizes Pélvicas: Sintomas e Tratamento

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), no Brasil aproximadamente 35% das mulheres acima de 20 anos sofrem com problemas de varizes nos membros inferiores. As varizes pélvicas são o segundo problema venoso mais comum atingindo de 10% a 15% do público feminino.

Ainda segundo a pesquisa, ao longo da vida, ao menos 70% das mulheres terão algum tipo de problema circulatório, enquanto apenas 30% dos homens serão afetados por algo do tipo. Especialistas acreditam que isso se deve principalmente a predisposição genética e a problemas hormonais.

 

 

O que são Varizes Pélvicas ou Síndrome da Congestão Pélvica?

Para discorrermos sobre os tratamentos das varizes pélvicas ou síndrome da congestão pélvica e seus sintomas, é necessário entendermos como a doença surge e suas razões fisiológicas.

Varizes pélvicas são veias dilatadas que surgem ao redor dos órgãos pélvicos, como útero, trompas e ovários. Também conhecida como varizes ginecológicas, a doença ainda não possui, na literatura científica um mapeamento que comprove as causas específicas para o seu desenvolvimento. Contudo, alguns problemas fisiológicos podem favorecer a progressão da patologia. São eles:

  • Hereditariedade
  • Gravidez – mulheres que tiveram uma ou mais gestações possuem mais chances de contrair este problema, isto por que durante o período gestacional as veias da pelve costumam se alargar para propiciar uma boa conexão com o feto.
  • Distúrbio hormonal – períodos de mudanças hormonais grandes, como gravidez, menopausa e distúrbio menstruais.
  • Trombose Venosa Profunda – casos anteriores de TVP podem favorecer o surgimento das varizes pélvicas.

O surgimento das varizes pélvicas ocorre da mesma forma e motivos das varizes em membros inferiores, a falha nas válvulas sanguíneas e o aumento da pressão venosa, causam o enfraquecimento das paredes das veias pélvicas.

Ou seja, as varizes pélvicas, são vasos sanguíneos anormais que sofreram uma dilatação das veias devido o enfraquecimento das paredes dentro das veias pélvicas, dificultando a drenagem sanguínea da região.

Principais Sintomas das Varizes Pélvicas

De forma geral, as mulheres que sofrem com sintomas de varizes pélvicas, apresentam os seguintes indícios:

  • Fortes dores na região pélvica e abdominal inferior, mais intensa nos dias que antecedem a menstruação
  • Inchaço
  • Incontinência urinária
  • Dor durante o período menstrual
  • Distúrbios hormonais e de fertilidade
  • Sensação de peso na região íntima
  • Aumento da menstruação
  • Dor durante a relação sexual

Diagnóstico de Varizes Pélvicas

Na maior parte das vezes os sintomas das varizes pélvicas são confusos, podendo ser associados a outras doenças e em alguns casos, as varizes pélvicas podem ser assintomáticas, ou seja, não manifestar sintomas. Por esse motivo, o diagnóstico da patologia é algo complicado, a melhor forma de diagnosticá-la previamente é através de exames periódicos.

Havendo a suspeita do quadro, diferentes tipos de exames de imagem podem ser realizados para o diagnóstico, tais quais:

    • Ultrassom com Doppler
      Ultrassom com Doppler é o primeiro exame a ser realizado, através dele é possível visualizar a existência de veias anormais e diagnosticar se são ou não insuficientes.
    • Angio-Tomografia ou Angio-Ressonância
      Após o diagnóstico é recomendado a realização de um exame de imagem detalhado, como a Angio-Tomografia ou Angio-Ressonância do abdômen e pélvis, pois com ele é possível verificar os vasos anormais e detectar compressões venosas, como a síndrome de May-Turnner e a síndrome do Quebra-nozes.
    • Alguns casos necessitam de flebografia com ultrassom intravascular para se confirmar ou descartar compressões venosas.

Tratamento para Varizes Pélvicas

As varizes pélvicas, assim como em outras áreas podem dificultar o retorno do fluxo sanguíneo para o coração causando dores crônicas abdominais. Segundo pesquisa da UFG (Universidade Federal de Goiás), 39% das mulheres em algum momento da vida sofrerão com dores crônicas na região pélvica, contudo, algumas ocorrências podem não estar associadas às varizes pélvicas.

Estas informações corroboram com a importância do tratamento das varizes pélvicas para solução do problema, a seguir veremos quais são os principais tratamentos para varizes pélvicas.

      • Medicação oral
        O uso de fármacos orais ajuda a diminuir a dilatação das veias e melhorar os sintomas das dores, todavia, este procedimento não é efetivo para todos os casos.
      • Cirurgia
        Há dois procedimentos cirúrgicos principais utilizados para o tratamento de varizes pélvicas, a cirurgia na qual o médico desvia o fluxo sanguíneo das veias afetadas para outras saudáveis e a embolização.
        A embolização consiste na inserção de pequenas molas dentro das veias pélvicas dilatadas, com o intuito de interromper o fornecimento de sangue para as veias, diminuindo assim os sintomas. Este procedimento demora de 1 a 3 horas e por ser um procedimento minimamente invasivo não há necessidade de internação hospitalar.
        Outro procedimento adotado para a oclusão das veias pélvicas varicosas é a escleroterapia com espuma.

Prevenção

Apesar de eficientes, os tratamentos contra varizes pélvicas são soluções póstumas, consultar-se com um cirurgião vascular regularmente e seguir algumas dicas de prevenção é o ideal para combater esta síndrome.

      • Caminhe ao menos 45 minutos por dia para melhorar a circulação sanguínea.
      • Evite ficar muito tempo na mesma posição, a cada 1 hora e meia movimente-se para ajudar na circulação.
      • Grávidas devem dormir de lado para diminuir a pressão do útero na veia cava (responsável por transportar o sangue até o coração).
      • Evite banhos em banheira, procure utilizar o chuveiro e alternar as temperaturas.
      • Não fume e evite beber em excesso.

Fonte: site dr ana yara batagini