Back

Câncer de boca, conheça seus sinais e sintomas para ficar alerta

Câncer de boca, conheça seus sinais e sintomas para ficar alerta

O câncer de boca, assim como os demais tipos de tumores cancerígenos, tem melhores chances de recuperação se diagnosticado precocemente. Assim, o cuidado prévio é de suma importância para o sucesso do tratamento, por isso é necessário que o paciente conheça seus sinais e sintomas.
Segundo estimativas divulgadas pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), anualmente, cerca de 15 mil brasileiros desenvolverão o tumor bucal maligno. Sendo que sem o diagnóstico necessário, a taxa de mortalidade da doença poderá alcançar 55% dos casos.
Deste modo, é preciso entender mais sobre a doença e saber como é possível prevenir o seu aparecimento!

O que é o câncer de boca?

O câncer bucal pode aparecer em diversos locais da cavidade oral, mas acomete com maior frequência os seguintes pontos:
● Língua;
● Amígdalas;
● Gengivas;
● Assoalho da boca.
A maioria dos casos é diagnosticada em estágios avançados e, por isso, tem as probabilidades de cura comprometidas. No entanto, mesmo que o paciente seja tratado e curado, ele ainda apresenta a tendência de desenvolver outros tipos de câncer no futuro.

Saiba quais sinais precisam de atenção

Quando a doença é diagnosticada logo no início do seu desenvolvimento, o paciente tem uma chance de cura de 95%. Por essa razão, é fundamental vigiar os seguintes sinais:
1 – Feridas que não cicatrizam
Machucados bucais são comuns, especialmente em pacientes que possuem aparelho dental invisível ou realizam outros tipos de tratamentos ortodônticos.
No entanto, é preciso estar atento às feridas que duram mais de 15 dias, na cavidade oral, ou seja, aquelas que levam um tempo muito grande de cicatrização.

2 – Nódulos
A aparição de nódulos nas bochechas, lábios ou pescoço devem ser sempre avaliadas por dentistas, pois pode se tratar de tumores benignos não cancerosos, pré-cancerosos ou malignos.

3 – Manchas
As manchas avermelhadas ou brancas na língua, gengiva ou céu da boca podem ser comuns nas pessoas que possuem implante dentário ou diabetes, pois é um dos sintomas do sapinho.
Mas em ambos os casos, é preciso de acompanhamento odontológico para a confirmação do diagnóstico e o tratamento adequado.

4 – Rouquidão
A inflamação da laringe pode ser causada por inchaços nas cordas vocais, gripes ou pelo uso inadequado da voz, ademais, também pode ser a causa da rouquidão.
No entanto, quando o sintoma persistir por muito tempo, o paciente deve procurar um médico para uma avaliação.

5 – Dores na mastigação ou deglutição
Tratamentos como a lente de contato dental podem causar problemas adversos como a sensibilidade dentária e a dor ao morder, principalmente nos primeiros dias.
Contudo, a alteração física causada por um nódulo cancerígeno gera, além da dor, a dificuldade de mastigar e a sensação de que há algo preso na boca ou garganta. Esse sintoma deve ser assistido por um especialista.
Então, caso o paciente apresente algum desses sintomas, é necessário a consulta imediata com um dentista para a realização de uma biópsia.

Prevenção e grupos de risco

Nem sempre o câncer bucal poderá ser evitado, pois a doença pode decorrer de heranças genéticas. Mas os agentes ambientais, como o tabagismo e o consumo regular de bebidas alcoólicas, podem ser responsáveis por até 95% dos casos de câncer de boca.
Esses dados, divulgados pelo Departamento de Estomatologia do Hospital do Câncer, colaboram com as estatísticas de que os fumantes têm oito vezes mais chances de desenvolver a doença, do que as pessoas que não fumam.

Quando misturado com o álcool, essa probabilidade aumenta em até 20 vezes. A exposição ao sol e as infecções causadas pelo HPV também podem estar relacionadas ao câncer de lábios e orofaringe, respectivamente.

Entenda como é o tratamento

A cirurgia é necessária para a remoção das lesões ou tumores em todos os casos. E o tratamento é  realizado com a quimioterapia e a radioterapia, principalmente quando a cirurgia pode danificar a funcionalidade ou quando a cirurgia não é viável.
Manter uma boa higienização bucal, atentando-se à qualidade da escovação, passando o fio dental e realizando a limpeza do aparelho invisível ou da prótese dentária, pode auxiliar na prevenção de feridas e machucados, além de facilitar na identificação de anormalidades.
A ida ao dentista a cada seis meses também é fundamental para a manutenção de uma boca saudável e bonita.
O paciente pode aproveitar esse tipo de consulta para fazer tratamentos como o clareamento dental, bem como para garantir a saúde de toda a cavidade oral.

Conclusão

Lembre-se, é sempre importante a utilização de um acompanhamento odontológico, para garantir a segurança de um tratamento de qualidade, inclusive, em situações de emergências, ou para a realização de procedimentos que promovam a integridade dos dentes.
Além dos pontos citados anteriormente, até mesmo, para sanar dúvidas sobre, por exemplo, o valor de um implante dentário, nesse caso, pode ser um bom motivo para essas visitas.
Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Networkflow, especializada em materiais para network, empreendedorismo e dicas para a saúde e qualidade de vida.