Back

Entenda como uma boa alimentação ajuda na qualidade do seu sorriso

Entenda como uma boa alimentação ajuda na qualidade do seu sorriso

A correria do cotidiano, às vezes, pode fazer com que a nossa atenção acabe sendo empregada em milhares de tarefas diferentes. Assim, com o cansaço e a sobrecarga do dia a dia, a preocupação com uma boa alimentação acaba ficando em segundo plano.

Mas o que exatamente é considerado uma dieta saudável? De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma boa nutrição é aquela que ajuda o corpo a se proteger de qualquer tipo de falta de vitaminas e minerais.

Ao mesmo tempo, essa alimentação precisa prevenir o desenvolvimento de doenças sistêmicas, como a diabetes, cardiopatias ou o câncer

Por isso, ainda que os tipos de alimentos e as quantidades possam variar de acordo com diversos fatores, uma dieta saudável consiste basicamente na:

  • Redução do consumo diário de sódio;
  • Controle da ingestão açúcares;
  • Atenção com os níveis de gorduras saturadas;
  • Aumento do consumo de frutas, verduras e leguminosas;
  • Ingestão diária de, ao menos, 400g de hortaliças e frutas.

Assim, além de auxiliar com a manutenção de uma saúde geral mais equilibrada, um organismo mais resistente e com a garantia de uma boa qualidade de vida, esse tipo de cuidado alimentar pode ser essencial para a melhora da aparência de todo o sorriso.

Como a alimentação impacta a saúde bucal

Os pacientes que utilizam o aparelho invisível ou qualquer outro tipo de acessório ortodôntico, provavelmente estão cansados de ouvir sobre os impactos que a má alimentação tem na saúde dos dentes e nos procedimentos odontológicos.

E essa correlação é completamente verdadeira, pois o consumo excessivo de balas, chicletes e de comidas com muito açúcar – além das quebras –, pode provocar o aumento da ação bacteriana e de doenças orais graves, como as cáries, gengivites e periodontites.

Mas além dos alimentos que não devem ser consumidos é preciso também estar atento aos efeitos que a falta de alguns alimentos podem provocar em todos os tecidos orais.

Isso porque, as avitaminoses – doenças causadas pela falta de vitaminas – também podem ajudar no desenvolvimento de diversos quadros clínicos odontológicos, que comprometem o tratamento com o aparelho branco, bem como, todos os outros tipos de cuidados dentais.

A falta de vitamina A, por exemplo, pode causar a atrofia do esmalte dentário e alterações na formação da dentina, enquanto a deficiência de vitamina D impede a reposição do cálcio e do fósforo nos ossos de sustentação ou no próprio dente.

Como criar uma rotina alimentar mais saudável

Mas ainda sim, muitas pessoas têm dúvidas de como manter uma rotina diária de alimentação saudável e balanceada, que evite restrições e garanta a manutenção do bem-estar, trazendo mais benefícios em longo prazo.

No entanto, cultivar bons hábitos alimentares pode ser mais fácil do que se parece, por isso, esteja sempre atento com a construção das refeições e opte por integrar em suas rotinas costumes como:

 

  • Melhore a mastigação dos alimentos

A digestão começa durante a mastigação. Assim, o aprimoramento da absorção dos nutrientes depende diretamente de um bom processo mastigatório. Por isso, é fundamental que as grandes refeições não durem menos do que 20 minutos.

 

  • Invista em frutas e legumes crus entre as refeições

A recomendação quanto à frequência das refeições pode variar bastante de acordo com o gênero do paciente, idade, estilo de vida ou nível de atividade física. 

No entanto, também é bastante sabido que o cérebro precisa de um nível estável de glicose para funcionar adequadamente.

Por isso, pode ser que entre as refeições sejam necessários alguns lanches que reponham esse carboidrato. Quando este for o caso, opte por frutas e legumes, como a maçã, pêra, cenoura ou oleaginosas – amêndoas, nozes ou castanhas do Pará.

Além de serem mais saudáveis, esses alimentos são muito benéficos para a saúde dos dentes, repondo vitaminas importantes, auxiliando com a remoção das sujeiras e fortalecendo o tecido gengival.

No entanto, não se esqueça de tomar cuidado para que a mastigação desses alimentos mais duros não acabe quebrando o aparelho transparente.

 

  • Consuma mais hortaliças

As hortaliças, como o espinafre, a couve ou a rúcula, são ricas em cálcio, ferro, fósforo e em uma infinidade de vitaminas que ajudam na composição estrutural dos dentes e na prevenção de feridas que podem aparecer na língua, bochecha e gengivas.

Mas, além disso, como esses produtos naturais são altamente fibrosos, eles exigem uma mastigação mais aprimorada e estimulam a produção salivar que protege a boca da ação bacteriana, alcaliniza o Ph oral e ainda auxilia na higienização dos dentes.

 

  • Mantenha-se sempre hidratado

Ao menos 50% do nosso corpo é composto por água. E essa hidratação é tão importante, pois a água transporta os nutrientes absorvidos durante a digestão, para todos os órgãos e tecidos.

Por outro lado, a desidratação pode causar danos à qualidade dos procedimentos odontológicos, como a faceta dentária, propiciando o aparecimento de manchas e escurecimentos devido ao contato contínuo com alimentos pigmentados.

No entanto, os efeitos mais danosos do consumo inadequado de água, é que o corpo deixa de produzir elementos importantes como a saliva. 

Assim, o indivíduo passa a ter dificuldades com a mastigação e deglutição dos alimentos, enquanto a boca fica mais ácida e as bactérias se reproduzem com maior facilidade.

Isso aumenta as chances do desenvolvimento de cáries, tártaro e outras doenças bucais que comprometem a saúde e estética do sorriso, bem como, a progressão dos tratamentos odontológicos que utilizam o aparelho ortodôntico de porcelana.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Lógica de Mercado, uma rede de conteúdos para alavancar negócios e proporcionar mais qualidade de vida e saúde.