Back

Esperança quanto ao tratamento de câncer

Esperança quanto ao tratamento de câncer

Um diagnóstico de câncer às vezes pode produzir mudanças positivas na vida?

Em um novo estudo, muitas pessoas com câncer de cólon, mesmo em estágios avançados, acreditaram que seu diagnóstico trouxe alguns efeitos benéficos para suas vidas.

Em pesquisas com 133 pacientes com câncer de cólon, os pesquisadores descobriram que quase todos – 95% – disseram que suas vidas haviam se beneficiado de alguma forma desde o diagnóstico. Freqüentemente, eles sentiram que seus relacionamentos familiares haviam se fortalecido, ou eles eram mais capazes de “aceitar as coisas como elas vêm” e se sentir gratos por cada dia.

Esse era o caso se as pessoas estivessem em um estágio anterior da doença ou tivessem câncer metastático – o que significa que havia se espalhado para locais distantes do corpo.

Na verdade, o estudo descobriu que nenhum fator médico parecia influenciar a capacidade dos pacientes de “encontrar benefícios”.

Esperança quanto ao tratamento

Por outro lado, essa capacidade de ver uma “fresta de esperança” não impedia as pessoas de se sentirem ansiosas, tristes ou angustiadas.

Embora isso possa parecer contra-intuitivo, os especialistas dizem que realmente faz sentido.

As pessoas podem ver simultaneamente os aspectos positivos em suas vidas e ficar angustiadas ao lidar com um diagnóstico de câncer, disse a pesquisadora principal Lauren Zimmaro, pós-doutoranda sênior associada do Fox Chase Cancer Center, na Filadélfia.

Encontrar benefícios, disse ela, é encontrar significado em meio às dificuldades, e não “colocar um viés positivo nas coisas”.

“É mais realista do que isso”, disse Zimmaro.

Allison Applebaum, psicóloga assistente do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, na cidade de Nova York, fez uma observação semelhante.

“Nós, como humanos, somos complexos, e a experiência de múltiplas emoções potencialmente conflitantes ao mesmo tempo é normal”, disse Applebaum, que não esteve envolvido no estudo.

“Para muitos”, disse ela, “a experiência do câncer – em qualquer local ou estágio – leva a uma reavaliação de valores, objetivos de vida e prioridades.”

Mas esse processo não nega as emoções negativas. “Pode-se certamente ficar muito ansioso com o futuro ou triste com a doença atual e limitações relacionadas, e ainda assim sentir-se grato”, disse Applebaum.

Sobre o estudo

O estudo, recentemente publicado online na revista Supportive Care in Cancer, envolveu 133 pacientes em tratamento de câncer de cólon em um hospital, metade dos quais tinha doença metastática.

No início e seis meses depois, os pacientes preencheram questionários padrão sobre descoberta de benefícios e sofrimento psicológico.

As perguntas para encontrar benefícios eram mais amplas, perguntando se o diagnóstico “me levou a aceitar mais as coisas”, por exemplo. As perguntas sobre angústia perguntavam às pessoas como elas se sentiam no momento.

Quase todos os pacientes, o estudo descobriu, relataram que experimentaram pelo menos um benefício desde o diagnóstico. E, em média, essa crença se fortaleceu ao longo do estudo de seis meses.

Não havia nenhuma evidência, entretanto, de que protegia contra sofrimento psicológico.

É possível que seja em parte porque os pacientes, em geral, relataram níveis de angústia relativamente baixos. Isso torna mais difícil ver um efeito, de acordo com a Dra. Marleen Meyers, diretora fundadora do Programa de Sobrevivência ao Câncer do Perlmutter Cancer Center da NYU Langone Health, na cidade de Nova York.

Esperança

Mas ela também concordou que ver a fresta de esperança do câncer não iria necessariamente proteger as pessoas do “estresse existencial” do diagnóstico, ou estresses diários, como tentar manter um emprego e pagar as contas.

“O estresse do câncer é muito real e onipresente”, disse Meyers. “E embora partes da experiência do câncer possam ser atenuadas pela descoberta de benefícios, é compreensível que a raiva, a fadiga e o desamparo … de um diagnóstico de câncer superem isso.”

Mas mesmo que a descoberta de benefícios não diminua essas emoções negativas, ainda é positiva por si mesma. E Applebaum disse que pode ser incentivado durante o tratamento do câncer.

A pesquisa na Sloan Kettering, disse ela, mostrou que mesmo intervenções breves “podem ajudar os pacientes com câncer avançado e limitante de vida a se conectar a um sentido de significado e propósito, a experimentar a descoberta de benefícios ou o crescimento pós-traumático”.

Isso não quer dizer que as pessoas com câncer “devam” se sentir de uma maneira particular, enfatizaram os especialistas.

“É normal se sentir angustiado. É normal e natural”, disse Zimmaro. “Também é normal sentir que você cresceu.”

Se as pessoas querem ajuda para seu sofrimento, porém, devem obtê-la, disse Zimmaro.

Pandemia

Um aspecto positivo da pandemia, disse Applebaum, é que a telemedicina tornou os serviços de saúde mental mais acessíveis a muitos pacientes com câncer. Historicamente, o tempo, a viagem e o custo das sessões presenciais têm sido barreiras, observou ela.

Atendimento por Telemedicina

A acessibilidade da internet a praticamente toda a população das diferentes classes sociais tem possibilitado também o acesso a vários serviços virtuais, antes pouco acessíveis para alguns, como os serviços de orientação psicológicos.

teleconsulta permite que o médico realize um atendimento muito mais ágil, que pode ser feito de qualquer lugar e a qualquer hora, o que traz vantagens para o paciente e para o próprio médico.

O paciente ganha tempo, já que não precisa se deslocar até sua clínica para realizar a reconsulta, e o próprio médico percebe essas vantagens, pois pode permanecer em casa para realizar estas consultas de retorno.

O Hospital Consulta Online (HCO) é um portal especializado em telemedicina que tem como objetivo ajudar empresas, médicos e pacientes a se conectarem através de sua tecnologia.

Para saber mais, ou agendar consulta é só clicar no link

https://hospitalconsultaonline.com/home

 

Mais Informações

A American Cancer Society tem mais informações sobre câncer e bem-estar mental .

FONTES: Lauren Zimmaro, PhD, associado sênior de pós-doutorado, Fox Chase Cancer Center, Filadélfia; Allison Applebaum, PhD, psicóloga assistente assistente, diretor, Caregivers Clinic, Memorial Sloan Kettering Cancer Center, New York City; Marleen Meyers, MD, diretora fundadora, Programa de Sobrevivência ao Câncer, Perlmutter Cancer Center na NYU Langone Health, e professora associada clínica, NYU Grossman School of Medicine, New York City; Supportive Care in Cancer , 11 de setembro de 2020, online traduzido por Momento Saúde