Últimas notícias:

Cárie dentária e situação de higiene bucal em pessoas cegas

O cuidado com a saúde bucal é capaz de influenciar no aparecimento ou prevenção de diversas doenças que afetam a cavidade oral d o organismo como um todo. No entanto, para as pessoas cegas esse cuidado pode se tornar um pouco mais complexo.

Essa dificuldade se torna ainda maior de acordo com o tipo de limitação sensorial que o paciente possui.

Isso porque, mesmo que muitas pessoas associam a deficiência visual à cegueira – quando não existe percepção de luz ou sombra –, essa condição também inclui o grupo com baixa visão ou próximo à cegueira.

Nestes casos, as pessoas são capazes de compensar o problema com o uso de lentes de aumento e lupas, ou ainda de distinguir luz e sombra no campo de visão, mesmo que necessitem de treinamentos de orientação em relação a mobilidade e cuidados pessoais.

Contudo, os pacientes que possuem limitações visuais não precisam necessariamente ter a sua independência ou vida produtiva ameaçadas em decorrência da condição.

Mas para que isso seja possível, é muito importante que haja algum incentivo e assistência no desenvolvimento da autonomia no cuidado diário com a saúde, especialmente a saúde bucal.

Por isso, é cada vez mais importante que o plano odonto empresa – ou os demais serviços de assistências odontológicas – facilitem o acesso dessas pessoas a centros especializados no cuidado de pacientes que possuam este tipo de necessidade.

Como o cuidado bucal é abordado para os pacientes com limitação visual?

Doenças bucais como a cárie, gengivite, periodontite ou as estomatites aftosas são consideradas patologias de fácil prevenção e tratamento. Mas, ainda sim, mais de 16 milhões de brasileiros vivem atualmente sem nenhum dente.

A perda dentária é uma condição geralmente causada pelo agravamento desses quadros clínicos que, por sua vez, estão relacionados com um descaso no cuidado com a saúde bucal e com a higienização oral adequada.

Algumas empresas oferecem plano odontologico pme, pensando em mudar o cenário preocupante apresentado.

Afinal de contas, atualmente existe um grande investimento no desenvolvimento do setor odontológico, fazendo com que cada vez mais os projetos de prevenção sejam bastante popularizados entre o público geral.

Entretanto, mesmo que cerca de 6,5 milhões de brasileiros tenham deficiência visual severa, esses avanços técnico-científicos da área da odontologia não costumam abranger significativamente os pacientes com limitação visual.

Ainda que algumas empresas ofereçam odonto empresarial, esses dados se agravam ainda mais, especialmente quando se fala dos grupos que pertencem a um quadro socioeconômico mais baixo.

Assim, materiais especializados que contribuam para o aumento do conhecimento, das práticas cotidianas e dos conceitos odontológicos, ainda são consideravelmente escassos para esse grupo populacional. Assim como:

  • Profissionais especializados neste tipo de atendimento;
  • Ferramentas que facilitem os cuidados diários com a saúde bucal;
  • Centros de assistência odontológica capacitada;
  • Dispositivos que facilitem o acesso à instrução sobre higiene oral;
  • Interesse na propagação dessas informações nas escolas e ambientes familiares.

Desta forma, quando as pessoas que possuem deficiência visual procuram pelo auxílio dos beneficios plano odontologico empresas, a abrangência de consultórios para suprimento das necessidades especiais se torna mais do que um diferencial, uma indispensabilidade.

Como deve ser realizado o atendimento odontológico em pacientes com deficiência visual?

Como visto anteriormente, um dos grandes desafios que os pacientes que possuem limitações físicas enfrentam durante o tratamento odontológico, é encontrar profissionais da área experientes e qualificados para o atender cada uma dessas necessidades especiais.

Além deste atendimento exigir cuidado, atenção e conhecimento da área de atuação por parte dos dentistas, os profissionais também precisam se atentar à integração dos pacientes na clínica e com as orientações específicas sobre higiene e manutenção da saúde bucal.

Também é fundamental que os médicos compreendam que os pacientes – especialmente as crianças – que possuem deficiência visual percebem esse cuidado bucal de forma mais objetiva e funcional, do que uma intervenção estética.

Por isso, é preciso enfatizar a importância que esses cuidados têm na mastigação, fala, respiração e nutrição. Além disso, também é importante relacionar a falta desses cuidados com o surgimento de dores, sensibilidade e desconfortos.

Como alguns pacientes com deficiência visual possuem um acesso restrito ao uso adequado do fio dental ou de escovas interdentais, é de suma importância que os próprios indivíduos e pais ou responsáveis sejam instruídos sobre as adaptações a serem feitas durante o cuidado individual.

Ainda que a deficiência visual não cause nenhum tipo de prejuízo considerável na qualidade da higienização oral individual, é imprescindível que esses pacientes façam um acompanhamento profissional periódico.

Outro ponto importante é que todos os pacientes tenham acesso a metodologias educativas que auxiliem na melhora da saúde oral e em toda a qualidade de vida. Consultas com profissionais especializados em situações assim podem ser encontradas através de plano dental para mei.

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Conviva Melhor, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.

 

Pesquisar

Newsletter

Podcast

Categorias