Últimas notícias:

Desafios e Perspectivas no Tratamento do Mieloma Múltiplo Recidivado e Refratário

O mieloma múltiplo (MM) é uma forma de câncer de plasma que afeta células plasmáticas na medula óssea. Embora haja avanços significativos no tratamento, pacientes que experimentam recidivas e resistência às terapias enfrentam desafios complexos. Este artigo explora as características do mieloma múltiplo recidivado e refratário, examinando as opções de tratamento disponíveis e as perspectivas emergentes.

Características do Mieloma Múltiplo Recidivado e Refratário:

  1. Recidiva:
    • A recidiva no mieloma múltiplo ocorre quando o câncer retorna após um período de remissão. Isso pode acontecer devido à resistência das células cancerígenas ao tratamento ou ao desenvolvimento de novas mutações.
  2. Refratariedade:
    • Pacientes refratários ao tratamento não respondem ou têm uma resposta muito curta às terapias padrão. A refratariedade pode se desenvolver inicialmente ou após recidivas sucessivas.
  3. Fatores de Risco:
    • Diversos fatores, como idade avançada, determinadas características genéticas e histórico de tratamentos anteriores, podem aumentar o risco de recidiva e refratariedade no mieloma múltiplo.

Opções de Tratamento Convencional:

  1. Terapias de Resgate:
    • Já os Protocolos de tratamento adicionais, incluindo regimes de quimioterapia, imunoterapia e transplante de células-tronco, são frequentemente considerados para controlar a recidiva.
  2. Inibidores do Proteassoma e Imunomoduladores:
  3. Terapia de Anticorpos Monoclonais: As anticorpos monoclonais são proteínas projetadas para ligar a alvos específicos no corpo, como células cancerígenas. Diferentemente da quimioterapia convencional, que atinge células saudáveis ​​e cancerígenas, as anticorpos monoclonais são mais precisas, adquiridas seletivamente como células do mieloma.

Agentes Promissores da Terapia de Anticorpos Monoclonais para Mieloma Múltiplo:

  1. Daratumumabe:
    • O daratumumabe é um anticorpo monoclonal que se liga à proteína CD38, presente em células do mieloma. Esse agente tem demonstrado eficácia significativa, tanto como terapia única quanto em combinação com outros medicamentos.
  2. Isatuximabe:
    • Direcionado à mesma proteína CD38, o isatuximabe oferece outra opção terapêutica eficaz. Sua aplicação tem mostrado melhorias notáveis ​​em pacientes que não responderam especificamente aos tratamentos anteriores.
  3. Belantamabe Mafodotina:
    • Alvejando a proteína BCMA (antígeno de células de mieloma de maturação), o belantamabe mafodotina representa uma abordagem inovadora. Essa terapia conjugada com agentes citotóxicos específicos apresenta resultados promissores em estudos clínicos.

Desafios Enfrentados pelos Pacientes:

  1. Limitações Terapêuticas:
    • Portanto pacientes com mieloma múltiplo recidivado e refratário muitas vezes enfrentam opções terapêuticas limitadas, uma vez que os tratamentos tradicionais podem não ser eficazes.

Pesquisar

Advogados

Podcast

Categorias

Newsletter