Últimas notícias:

Doença de Crohn

A doença de Crohn é uma doença intestinal inflamatória na qual a inflamação crônica normalmente envolve a parte inferior do intestino delgado, o intestino grosso ou ambos, e pode afetar qualquer parte do trato digestivo.

A doença de Crohn tende a surgir mais comumente na última parte do intestino delgado (íleo) e no intestino grosso, porém, pode ocorrer em qualquer parte do trato digestivo, desde a boca até o ânus, incluindo pele ao redor do ânus. A inflamação do íleo é denominada ileíte. Quando a doença de Crohn afeta o cólon, é chamada colite de Crohn. A doença de Crohn afeta

  • O intestino delgado individualmente (35% das pessoas)
  • O intestino grosso individualmente (20% das pessoas)
  • Tanto a parte terminal do intestino delgado como o intestino grosso (45% das pessoas)

O reto não é geralmente afetado, ao contrário da colite ulcerativa, em que o reto está sempre envolvido. Entretanto, infecções e outras complicações ao redor do ânus não são raras. A doença pode afetar alguns segmentos do trato intestinal, deixando alguns segmentos normais (áreas intercaladas) entre as áreas afetadas. Onde a doença de Crohn está ativa, geralmente, toda a espessura do intestino fica comprometida.

Como localizar o intestino delgado e o intestino grosso

Não se conhece ao certo a causa da doença de Crohn, mas muitos pesquisadores acreditam que uma disfunção do sistema imunológico faça com que o intestino reaja em excesso a um agente ambiental, alimentar ou infeccioso.

Algumas pessoas podem ter uma predisposição hereditária a esta disfunção do sistema imunológico. O tabagismo também parece contribuir, tanto para o desenvolvimento como para a ocorrência periódica de exacerbações (ataques ou crises) da doença de Crohn. Contraceptivos orais podem elevar o risco da doença de Crohn.

Por motivos desconhecidos, as pessoas que apresentam um elevado nível socioeconômico podem apresentar um elevado risco de doença de Crohn.

Diversos relatos sugerem que pessoas que foram amamentadas podem estar protegidas contra a doença intestinal inflamatória.

Sintomas da doença de Crohn

Os sintomas mais comuns da doença de Crohn são:

  • Dor abdominal acompanhada de cólicas
  • Diarreia crônica (que, algumas vezes, é sanguinolenta quando o intestino grosso está gravemente afetado)
  • Febre
  • Perda de apetite
  • Perda de peso

Portanto os sintomas da doença de Crohn podem durar dias ou semanas e podem se resolver sem tratamento. A recuperação completa e permanente depois de um único ataque é extremamente rara. A doença de Crohn geralmente reaparece em intervalos irregulares, ao longo de toda a vida. Essas crises podem ser leves ou graves, breves ou prolongadas. Crises graves podem provocar dor intensa e constante, febre e desidratação.

Não se sabe o motivo pelo qual os sintomas aparecerem e desaparecerem ou o que desencadeia novas crises e determina a sua gravidade. A inflamação recorrente tende a aparecer na mesma região do intestino. Ela também pode aparecer em regiões próximas de um segmento doente que foi removido cirurgicamente.

Em crianças, dor abdominal e diarreia geralmente não são os sintomas mais importantes e podem nunca se manifestar. Os sintomas principais, na verdade, podem ser crescimento lento, inflamação das articulações (artrite), febre ou fraqueza e fadiga resultantes da anemia.

Complicações da doença de Crohn

As complicações da doença de Crohn incluem:

  • Bloqueio intestinal (obstrução)
  • Perfuração (ruptura) do intestino
  • Abscessos (bolsas de infecção, cheias de pus) no abdômen
  • Fístulas (canais de conexão anormais entre o intestino e a pele ou outros órgãos)
  • Fissuras anais (lacerações na pele do ânus e abscessos anais)
  • Câncer do cólon (câncer do intestino grosso)

Fístulas intestinais

O megacólon tóxico é uma complicação rara que pode ocorrer quando a doença de Crohn afeta o intestino grosso (cólon). O intestino grosso interrompe suas contrações normais e se dilata, algumas vezes levando à peritonite As pessoas podem necessitar uma cirurgia.

Formação de tecido cicatricial, pois a inflamação crônica pode causar bloqueio intestinal. Úlceras profundas, que penetram pela parede do intestino, podem causar abscessos, fístulas abertas ou perfurações. As fístulas podem ligar duas partes diferentes do intestino. As fístulas também podem conectar o intestino à bexiga ou à superfície da pele, sobretudo ao redor do ânus. Apesar de as fístulas do intestino delgado serem frequentes, são pouco comuns as perfurações. As fissuras na pele do ânus são comuns.

Fístula anorretal

Quando o intestino grosso é amplamente afetado pela doença de Crohn, é comum ocorrer hemorragia retal. Depois de muitos anos, o risco de câncer de cólon (câncer do intestino grosso) aumenta em pessoas que apresentam colite de Crohn. Cerca de um terço das pessoas com doença de Crohn apresentam problemas ao redor do ânus, em particular fístulas e fissuras no seu revestimento da membrana mucosa.

A doença de Crohn pode levar a complicações em outras partes do corpo. Essas complicações incluem:

  • Cálculos biliares
  • Absorção inadequada de nutrientes (má absorção)
  • Infecções do trato urinário
  • Cálculos renais
  • Depósito de proteínas amiloides em diversos órgãos (amiloidose)

Quando a doença de Crohn provoca uma crise de sintomas gastrointestinais, a pessoa também pode apresentar o seguinte:

  • Inflamação nas articulações (artrite)
  • Inflamação na parte branca dos olhos (episclerite)
  • Feridas bucais (estomatite aftosa)
  • Nódulos cutâneos inflamados nas mãos e pernas (eritema nodoso)

Mesmo quando a doença de Crohn não está causando uma crise de sintomas gastrointestinais, a pessoa ainda pode apresentar o seguinte, totalmente sem relação à doença intestinal:

  • Inflamação da coluna vertebral (espondilite anquilosante)
  • Inflamação das articulações pélvicas (sacroileíte)
  • Inflamação do interior dos olhos (uveíte).
  • Inflamação dos dutos biliares (colangite esclerosante primária)
  • Feridas cutâneas de cor violeta que podem conter pus (pioderma gangrenoso)

Diagnóstico da doença de Crohn

  • Exames de sangue e fezes
  • Exames de diagnóstico por imagem
  • Colonoscopia

Portanto o médico pode suspeitar da existência da doença de Crohn em uma pessoa com cólicas abdominais e diarreia recorrentes, sobretudo se houver antecedentes familiares de doença de Crohn ou antecedentes de problemas ao redor do ânus. Outros indícios para o diagnóstico podem incluir inflamações das articulações, dos olhos ou da pele ou crescimento debilitado em crianças. O médico pode, ao palpar o paciente, sentir uma massa na parte inferior do abdômen, a maioria das vezes no lado direito.

Exames de sangue e fezes

Não há exames laboratoriais específicos para identificar a doença de Crohn, apesar de os exames de sangue poderem mostrar anemia, um número de leucócitos acima do comum, baixas concentrações de albumina e outros sinais de inflamação, como velocidade de hemossedimentação ou nível de proteína reativa C elevados. É possível que o médico também realize provas de função hepática.

Se houver diarreia, é possível que o médico colete amostras de fezes para descartar determinadas infecções intestinais.

Exames de diagnóstico por imagem

A pessoa com dor abdominal grave e sensibilidade frequentemente faz uma tomografia computadorizada (TC) ou imagem por ressonância magnética (RM) do abdômen. A TC ou RM pode mostrar um bloqueio, abscessos ou fístulas, bem como outras possíveis causas de inflamação abdominal (como apendicite).

As pessoas que apresentam sintomas recorrentes após algum tempo podem realizar radiografias do estômago e intestino delgado após ingerir bário líquido (chamado série gastrointestinal [GI] superior) ou realizar radiografias após receberem bário como um enema (chamado enema de bário). Novas abordagens incluem enterografia por TC ou enterografia por ressonância magnética. Outro modo de avaliar o intestino delgado é com um exame de cápsula endoscópica.

Colonoscopia

Pessoas com pouca dor e mais diarreia realizam uma colonoscopia (um exame do intestino grosso com um tubo flexível para visualização) e uma biópsia (remoção de uma amostra de tecido para exame microscópio). Se a doença de Crohn se limitar ao intestino delgado, a colonoscopia não detectará a doença, a menos que o colonoscópio seja avançado por todo o cólon e até a última parte do intestino delgado, onde a inflamação se situa com maior frequência.


Prognóstico para doença de Crohn

A doença de Crohn não tem cura conhecida e é caracterizada por crises intermitentes de sintomas. As crises podem ser leves ou graves, raras ou frequentes. Com o tratamento adequado, a maioria das pessoas continuam a levar vidas produtivas. No entanto, aproximadamente 10% das pessoas com doença de Crohn ficam incapacitadas pela doença e suas complicações.

Fonte: Por Aaron E. Walfish, MD, Mount Sinai Medical Center;
Rafael Antonio Ching Companioni, MD, HCA Florida Gulf Coast Hospital traduzido por Momento Saúde

Pesquisar

Advogados

Podcast

Categorias

Newsletter