Últimas notícias:

Alerta falsificação de Perjeta® (pertuzumabe)

Introdução

Em 24 de maio de 2024, o Serviço de Informações Roche – SIR foi contatado por uma farmácia de Medicamentos Especiais para relatar suspeita de falsificação de unidades de Perjeta® (pertuzumabe) 420 mg, lote H0652H02. Nesta mesma ocasião, a farmácia informou que as unidades mencionadas foram adquiridas por um distribuidor do medicamento.

Recolhimento do Medicamento

Em 27 de maio de 2024, a Roche tomou ciência de comunicado emitido pela farmácia de Medicamentos Especiais, anunciando o recolhimento proativo do medicamento Perjeta® (pertuzumabe) 420 mg lote H0652H02, por ela distribuída, devido a relatos de suspeitas de falha na embalagem e na idoneidade do medicamento. Esse medicamento é usado para câncer de Mama.

Investigação pela Roche

Diante deste cenário, a Roche iniciou um processo criterioso de investigação das unidades informadas, uma vez que a distribuidora na qual vamos omitir o nome, que não é um distribuidor homologado pela Roche para comercialização e distribuição de seus produtos. A matriz F. Hoffmann La-Roche Ltd., na Suíça, está conduzindo esta investigação, e tão logo concluída, a Roche seguirá as medidas cabíveis, bem como a respectiva notificação aos órgãos competentes, incluindo a ANVISA.

Autenticidade do Produto

É importante ressaltar que o referido lote de Perjeta® (pertuzumabe) 420 mg foi importado e distribuído em território nacional pela própria Roche. Desta forma, a companhia garante a proteção das unidades entregues diretamente por ela aos distribuidores homologados.

Medidas de Segurança e Rastreabilidade

Para combater práticas de falsificação e adulteração de medicamentos, a Roche implementa processos críticos de segurança e rastreamento em seus medicamentos. Essas medidas incluem o uso de tinta reativa (conhecida como “raspadinha”), lacres de segurança na embalagem secundária e a utilização do identificador Único de Medicamento (S/N), permitindo a identificação individualizada, exclusiva e inequívoca de cada embalagem comercial do medicamento, bem como sua rastreabilidade.

Aquisição de Medicamentos Autênticos

A Roche reforça a importância em adquirir medicamentos de distribuidores e empresas que comprovem a sua origem lícita e autêntica, principalmente quanto à conformidade com as legislações vigentes, como a resolução RDC n° 430 de 2020, que trata das Boas Práticas de Distribuição, Armazenamento e Transporte de Medicamentos.

Inspeção Visual

Como prática de segurança, a Roche ressalta a importância da inspeção visual dos frascos antes da administração do medicamento.

Como segue aqui neste passo a passo:

Falsificação de Medicamentos é Crime

A falsificação de medicamentos é uma prática ilegal e extremamente perigosa que representa uma ameaça grave à saúde pública. De acordo com a legislação brasileira, essa prática é considerada crime e está sujeita a punições severas.

As penas previstas para esse tipo de crime variam de 10 a 15 anos de reclusão, além de multa. Além disso, aqueles que comercializam ou distribuem medicamentos falsificados também estão sujeitos a penas de prisão.

É importante ressaltar que a falsificação de medicamentos não representa apenas um crime, mas também coloca em risco a saúde e a vida das pessoas que os consomem. Esses produtos contêm substâncias nocivas, dosagens prejudiciais ou nem mesmo contêm o princípio ativo indicado, podendo causar graves efeitos adversos.

Portanto, a compra e o consumo de medicamentos devem ser feitos apenas em estabelecimentos autorizados e com a prescrição médica. Qualquer suspeita de falsificação deverá ser imediatamente denunciada às autoridades competentes.

Para saber se uma farmácia de alto custo é confiável, é importante verificar alguns requisitos importantes:

  1. Licença de Funcionamento : Uma farmácia deve possuir uma Licença de Funcionamento válida, emitida pela Vigilância Sanitária do município ou estado onde estiver localizada. Essa licença comprova que uma farmácia atende aos requisitos legais para operar.
  2. Registo no Conselho Regional de Farmácia (CRF) : A farmácia deve ser devidamente registada no Conselho Regional de Farmácia do estado, com um responsável farmacêutico.
  3. Certificação da Anvisa : Farmácias que comercializam medicamentos de alto custo devem possuir a Certificação de Boas Práticas de Distribuição e Armazenagem (CBPDA), concedida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
  4. Origem dos Medicamentos : Certifique-se de que os medicamentos comercializados são adquiridos diretamente de distribuidores ou fabricantes autorizados. Evite comprar fontes desconhecidas.
  5. Armazenamento : Observe se a farmácia possui estrutura e equipamentos adequados para o armazenamento correto dos medicamentos, como refrigeradores, atmosferas e controle de umidade.
  6. Atendimento por Farmacêutico : Uma farmácia deve contar com a presença de um medicamento durante todo o horário de funcionamento, para orientar corretamente os pacientes.
  7. Valor do medicamento : Caso a farmácia ofereça o medicamento abaixo da tabela de preço, verifique se ela está devidamente cadastrada e autorizada a comercializar esses produtos.

Caso a farmácia atenda a esses requisitos, você pode ter mais segurança de estar adquirindo medicamentos genuínos e de qualidade. Sempre prefira disposições confiáveis ​​e evite comprar medicamentos em locais informados ou desconhecidos.

Contato com o Serviço de Informações Roche

Em caso de dúvida ou suspeita, a Roche permanece à disposição por meio do Serviço de Informações Roche (SIR) 0800-7720-289 ou entre em contato conosco VIA CHAT que podemos lhe auxiliar .

Pesquisar

Advogados

Podcast

Categorias

Newsletter

Síndrome do super-herói

A “Síndrome do Super-Herói” é um termo informal usado para descrever um padrão de comportamento em que uma pessoa sente uma necessidade constante de ser um super-herói, assumindo responsabilidades além de suas capacidades e limites,

Saiba mais »