Back

O que é Vitiligo ?

O vitiligo é a perda de melanócitos que deixa manchas brancas na pele.

As manchas de pele embranquecida estão presentes em várias partes do corpo.

Geralmente, os médicos baseiam o diagnóstico na aparência da pele.

Os cremes corticosteróides, outros medicamentos ou fototerapia mais medicamentos sensíveis à luz podem ajudar a repigmentação da pele ou, se necessário, é possível usar enxertos.

Mais de 2 milhões de brasileiros convivem com a despigmentação gradual da pele. Diferente do que muitos pensam, a doença não é contagiosa e pode ser tratada. O Vitiligo é uma doença cutânea caracterizada principalmente pela perda gradativa da pigmentação da pele. Geralmente há o surgimento de manchas manchas em todo o corpo. É impossível prever a extensão da doença ou o quanto a pessoa perderá da cor da pele.

A doença é mais visível em pessoas com pele escura, mas pode atingir pessoas de todos os sexos, idades e tons de pele. É importante ressaltar que quem sofre de vitiligo não corre qualquer risco de morte e é possível conviver com a doença levando uma vida normal.  A grande vilã pode ser a queda da autoestima, o que pode acarretar problemas psicológicos, como a depressão.

A causa do vitiligo é desconhecida, mas trata-se de um distúrbio de pigmentação cutânea que pode envolver um ataque do sistema imunológico às células que produzem o pigmento cutâneo melanina (melanócitos). O vitiligo costuma ser hereditário, ou as pessoas podem desenvolvê-lo espontaneamente. O vitiligo pode ocorrer com certas doenças. Ele está associado a doenças autoimunes (quando o corpo ataca seus próprios tecidos), sendo a doença da tireoide a mais comum. Ele está mais fortemente associado a uma tireoide hiperativa (hipertireoidismo, particularmente quando causado pela doença de Graves) e hipoativa (hipotireoidismo, particularmente quando causado pela tireoidite de Hashimoto). Pessoas com diabetes, doença de Addison e anemia perniciosa também têm mais probabilidade de desenvolver vitiligo. Entretanto, a relação entre essas doenças e o vitiligo é incerta.

Melanócito
Melanócito

Ocasionalmente, o vitiligo ocorre depois de lesão física na pele, por exemplo, como resposta a uma queimadura por produto químico ou queimadura solar. As pessoas também podem observar que o vitiligo é desencadeado por um episódio de estresse emocional.

Tipos de Vitiligo

Existem dois tipos de vitiligo: o localizado, que atinge pontos isolados da pele, avança com rapidez, mas depois a aparição de manchas é estagnada; e o generalizado, que é aquele onde os afetados pela doença perdem gradualmente a pigmentação da pele.

O vitiligo generalizado pode evoluir rápida ou lentamente e pode, ainda, estabilizar depois de determinado tempo. Existem quatro tipos de Vitiligo generalizado (vulgar, misto, universal e acrofacial), sendo o mais comum o de tipo vulgar. Nesse caso, surgem manchas simétricas em diversas áreas do corpo.

O tipo misto consiste em uma mistura dos tipos vulgar e segmentar. Já o vitiligo universal, que é muito raro, acomete mais de 70% do corpo. Por último, o vitiligo do tipo acrofacial só leva ao surgimento de manchas no rosto, nas mãos e nos pés.

Sintomas

Em algumas pessoas, podem aparecer uma ou duas manchas bem definidas. Em outras, essas manchas podem aparecer em uma parte grande do corpo. Raramente, o vitiligo ocorre na maior parte da superfície da pele. As alterações são mais notórias nas pessoas de pele mais escura. As áreas normalmente afetadas são o rosto, os dedos das mãos e dos pés, pulsos, cotovelos, joelhos, mãos, pernas, tornozelos, axilas, ânus e área genital, umbigo e mamilos. A pele afetada tem extrema tendência à queimadura do sol. As zonas da pele afetadas pelo vitiligo também provocam pelo branco, porque não existem melanócitos nos folículos pilosos.

Várias manifestações de vitiligo

Diagnóstico

 

Avaliação de um médico

Vitiligo observado sob uma lâmpada de Wood
Vitiligo observado sob uma lâmpada de Wood
© SPRINGER SCIENCE+BUSINESS MEDIA

O vitiligo é reconhecido pela sua aparência típica. Muitas vezes é realizado um exame com lâmpada de Wood para ajudar a distinguir o vitiligo de outras causas de pele clareada. Raramente é necessário fazer outros testes, como biópsia da pele.

Tratamento

Proteção solar

Creme contendo um corticosteroide e calcipotriol ou às vezes outras substâncias aplicadas na pele (terapia tópica)

Fototerapia e psoralenos

Cirurgia

Descoloração da pele não afetada

Não se conhece a cura para o vitiligo, embora a cor da pele possa voltar de forma espontânea. O tratamento pode ser útil. Todas as áreas afetadas da pele correm risco de queimadura solar grave e devem ser protegidas do sol com vestuário e protetor solar.

Terapia tópica

Por vezes, as manchas pequenas escurecem (repigmentam-se) quando se aplica um tratamento com cremes à base de corticosteróides fortes. Medicamentos, como tacrolimo ou pimecrolimo, podem ser aplicados às manchas no rosto ou na virilha, onde os cremes à base de corticosteroides fortes podem causar efeitos colaterais. O calcipotriol, que é uma forma de vitamina D, misturado com betametasona (um creme de corticosteroide), pode ser eficaz e é mais eficaz do que cada um dos cremes usado individualmente. Algumas pessoas utilizam bronzeadores, colorações para a pele ou maquiagem para escurecer a área.

Fototerapia e psoralenos

Como muitas pessoas ainda têm um pouco de melanócitos nas manchas de vitiligo, a exposição à luz ultravioleta (UV) no consultório médico (fototerapia) reestimula a produção de pigmentos em mais da metade deles ( Fototerapia). Em particular, podem ser administrados os psolarenos (medicamentos que deixam a pele mais sensível à luz) combinados com luz UVA (PUVA) ou tratamento de luz UVB de banda estreita sem psoralenos. No entanto, a fototerapia precisa de meses para demonstrar a sua eficácia e pode precisar ser continuada indefinidamente. Ela também pode dar origem ao câncer de pele. Raramente, os médicos usam laser em algumas pessoas que tenham pequenas manchas que não respondem aos cremes à base de corticosteroide.

Uma nova classe de medicamentos chamada inibidores da Janus quinase (ou inibidores de JAK) está emergindo como possível opção de tratamento para vitiligo. No entanto, a despigmentação pode reaparecer após o uso desses medicamentos ser interrompido.

Cirurgia

As áreas que não respondem à fototerapia podem ser tratadas com várias técnicas de enxerto de pele e até mesmo transplante de melanócitos, que crescem em áreas da pele que não foram afetadas. A tatuagem é bem útil para zonas onde é difícil reestimular a produção de pigmentos (como mamilos, lábios ou ponta dos dedos).

Branqueamento

Algumas pessoas que têm extensões muito grandes de vitiligo preferem, às vezes, descolorir a pigmentação da pele que não foi afetada para conseguir uma tonalidade uniforme. O branqueamento é feito com várias aplicações de creme de hidroquinona forte sobre a pele, durante várias semanas ou anos. O creme pode causar muita irritação. Os efeitos do branqueamento (como a perda permanente do pigmento) são irreversíveis.

Fonte: Por Shinjita Das, MD, Harvard Medical School traduzido por Momento Saúde

Reviews
5
Speed
Quality
Price
Friendly
Summary

O vitiligo é a perda de melanócitos que deixa manchas brancas na pele.Mais de 2 milhões de brasileiros convivem com a despigmentação gradual da pele.