Back

Tumores ósseos metastáticos

Os cânceres que começam em outra parte do corpo podem se espalhar (gerar metástases) para os ossos.

Em particular, cânceres de mama, pulmão, próstata, rins, tireoide e cólon, podem gerar metástases nos ossos.

O principal sintoma é dor óssea.

Um exame de imagem, como radiografia, ressonância magnética (RM) ou tomografia computadorizada, pode mostrar a anomalia óssea ou uma amostra de tecido pode precisar ser removida e examinada (biópsia).

Radioterapia, quimioterapia ou cirurgia pode ser realizada dependendo do tipo de câncer que se disseminou.

Os tumores ósseos metastáticos são cânceres que se espalharam para os ossos saindo do seu local original (primário) em outra parte do corpo .

Os cânceres com maior probabilidade de desenvolver metástases ósseas incluem aqueles que se iniciam nos locais seguintes:

Câncer de mama é o câncer mais comum com disseminação para os ossos. No entanto, qualquer tipo de câncer pode vir a se espalhar para os ossos. O câncer pode se espalhar para qualquer osso, embora os cânceres normalmente não se espalhem para os ossos abaixo do terço médio do antebraço ou no meio da panturrilha.

Sintomas

Tumores ósseos metastáticos causam dor óssea, mas podem não causar nenhum sintoma por algum tempo. A dor pode ser intensa. A dor pode ocorrer em repouso ou durante a noite e tende a se agravar progressivamente.

Tumores cancerosos enfraquecem os ossos gradualmente. A fraqueza facilita a ocorrência de fraturas ósseas durante atividades de rotina (fratura patológica).

Diagnóstico

Radiografias

Cintilografia óssea

Outros exames de imagem

Algumas vezes, biópsia

Uma pessoa que tem ou teve câncer e desenvolve dor óssea ou inchaço é avaliada por um médico para verificar a presença de tumores ósseos metastáticos.

Às vezes, os médicos solicitam radiografias simples. Contudo, cintilografias ósseas usando marcadores radioativos podem avaliar todo o esqueleto de uma vez e ajudam a localizar tumores que podem não aparecer em uma radiografia simples.

Para avaliar uma única área do osso, são feitos outros exames de imagem, como ressonância magnética (RM), tomografia computadorizada (TC) ou tomografia de emissão de pósitrons (PET). A PET é geralmente combinada à tomografia computadorizada (PET-TC) quando usada para avaliar tumores.

Ocasionalmente, um tumor ósseo metastático causa sintomas antes de ter sido detectado o câncer original. Os sintomas podem ser dor óssea (particularmente dor que afete mais de uma área devido a múltiplos tumores) ou uma fratura onde o tumor tenha enfraquecido o osso (fratura patológica). Nessas situações, é feita uma biópsia que geralmente dá pistas sobre a localização do câncer original, pois o tipo de tecido canceroso muitas vezes pode ser reconhecido em exame microscópico. Estas informações podem orientar o médico em relação ao local onde o câncer original se iniciou (por exemplo, nos pulmões, mamas, próstata, rins, tireoide ou cólon).

Biópsia
Biópsia

Depois de diagnosticado o tumor ósseo metastático, os médicos farão outros exames para determinar aonde o câncer original se iniciou. Por exemplo, uma radiografia ou uma TC torácica pode ser realizada para procurar por tumores nos pulmões ou uma mamografia pode ser realizada para procurar por tumores nas mamas.

Tratamento

Radioterapia

Cirurgia para estabilizar o osso

Cirurgia para remover os tumores

Medidas para diminuir a perda óssea

O tratamento de tumores ósseos metastáticos depende do tipo de câncer que se espalhou para os ossos. Alguns tipos respondem à quimioterapia, alguns à radioterapia, alguns a ambos e outros a nenhum tipo de terapia. A radioterapia geralmente é mais eficaz.

A cirurgia para estabilizar os ossos é frequentemente feita para tratar fraturas e, às vezes, para prevenir fraturas. Cirurgia para fraturas patológicas pode envolver a colocação de uma haste dentro do osso, o uso de placas e parafusos para estabilizar o osso ou a remoção do osso afetado para reconstruir o membro e a articulação.

Quando o câncer original (primário) tiver sido removido e houver apenas um único tumor no osso, especialmente se o tumor tiver se desenvolvido anos após o tumor primário, o tumor único é cirurgicamente removido e o osso reconstruído. Às vezes, esta remoção e reconstrução é combinada com a radioterapia, quimioterapia ou ambos. Esta combinação de tratamento raramente cura o câncer, mas melhora significativamente a qualidade de vida da pessoa, bem como a função ou aspecto do membro.

Um dos objetivos do tratamento é minimizar a perda de tecido ósseo e aliviar a dor.

A perda de tecido ósseo pode causar dor e tornar os ossos propensos a fraturas, o que pode exigir cirurgia. A perda óssea pode ser minimizada através da utilização de radioterapia e medicamentos que previnem a perda óssea (como bifosfonatos ou denosumabe) antes de a perda óssea se tornar extensa e ocorrer dor.

Para aliviar a dor na coluna, poderá ser feita cifoplastia ou vertebroplastia. Tanto um procedimento quanto o outro podem ser feitos, se os tumores estiverem causando o colapso dos ossos da coluna, mas não estiverem pressionando a medula espinhal. Na cifoplastia, um balão é inserido nos ossos da coluna vertebral e expandido para restaurar o osso ao seu formato normal e evitar que ele colapse ainda mais. Então se injeta cimento ósseo (metil metacrilato). A vertebroplastia é parecida com a cifoplastia exceto que nenhum balão é inserido. Se os tumores estiverem em risco de causar um colapso que poderia pressionar a medula espinhal e causar dano à medula (como fraqueza ou paralisia das pernas), um tratamento para diminuir a pressão e estabilizar a coluna pode ser recomendado.

Fonte: Por Michael J. Joyce, MD, Cleveland Clinic Lerner School of Medicine at Case Western Reserve University;

Hakan Ilaslan, MD, Cleveland Clinic Lerner College of Medicine at Case Western Reserve University

Traduzido por Momento Saúde

Reviews
5
Speed
Quality
Price
Friendly
Summary

Tumores ósseos metastáticos causam dor óssea, mas podem não causar nenhum sintoma por algum tempo. A dor pode ser intensa. A dor pode ocorrer em repouso ou durante a noite e tende a se agravar progressivamente.