Back
Image Alt

Momento Saúde

Você sabe o que Neutropenia

A neutropenia é um número anormalmente baixo de neutrófilos (um tipo de glóbulo branco) no sangue.

A neutropenia, quando grave, aumenta significativamente o risco de infecções com risco à vida.

Muitas vezes, a neutropenia é um efeito colateral do tratamento de câncer com quimioterapia ou radioterapia.

Os médicos suspeitam de neutropenia em pessoas com infecções frequentes ou incomuns.

É usada uma amostra de sangue para se fazer o diagnóstico de neutropenia e pode ser necessária uma amostra de medula óssea se a causa não for aparente.

O tratamento depende da causa e da gravidade do distúrbio e pode incluir medicamentos para estimular a produção de neutrófilos pelo corpo.

São administrados antibióticos se a pessoa tiver neutropenia e febre ou outros sinais de infecção.

Os neutrófilos são um tipo de glóbulo branco que atua como a principal defesa do corpo contra infecções bacterianas agudas e certas infecções fúngicas. Os neutrófilos normalmente constituem cerca de 45 a 75% de todos os glóbulos brancos na corrente sanguínea. Sem a defesa fundamental proporcionada pelos neutrófilos, as pessoas têm problemas em controlar infecções e correm risco de morrer devido a infecções.

A neutropenia pode se resolver rapidamente quando a infecção se resolve ou quando a exposição cessa.

Neutrófilo
Neutrófilo

A neutropenia crônica pode perdurar por meses ou anos.

Gravidade da neutropenia

O limite inferior típico da contagem de neutrófilos é de cerca de 1.500 células por microlitro de sangue (1,5 × 109 células por litro). À medida que a contagem cai abaixo deste nível, o risco de infecção aumenta. A gravidade da neutropenia é classificada como:

 

Leve: 1.000 a 1.500/mcl (1 a 1,5 × 109/i)

 

Moderada: 500 a 1.000/mcl (0,5 a 1 × 109/l)

Grave: abaixo 500/mcl (0,5 × 109/l)

Quando a contagem de neutrófilos cai para menos de 500 células por microlitro (neutropenia grave), o risco de infecções aumenta significativamente. As pessoas podem até mesmo desenvolver infecções por bactérias que normalmente habitam a boca e os intestinos inofensivamente.

Causas

A neutropenia tem muitas causas, mas elas se enquadram em duas categorias:

Os neutrófilos se esgotam ou são destruídos mais depressa do que a medula óssea consegue produzi-los

A produção de neutrófilos na medula óssea é reduzida

Uso ou destruição rápida de neutrófilos

Muitos distúrbios fazem com que os neutrófilos se esgotem ou sejam destruídos. Esses distúrbios incluem certas infecções bacterianas, alguns distúrbios alérgicos e alguns tratamentos com medicamentos (como medicamentos usados para tratar o hipertiroidismo). Pessoas com doenças autoimunes podem produzir anticorpos que destroem neutrófilos e o resultado é neutropenia. Pessoas com esplenomegalia podem ter uma baixa contagem de neutrófilos porque o baço aumentado captura e destrói neutrófilos.

Produção reduzida de neutrófilos

A produção de neutrófilos na medula óssea pode ser reduzida por câncer, infecções virais, como a gripe, infecções bacterianas, como a tuberculose, mielofibrose ou deficiência de vitamina B12 ou de folato (ácido fólico). Pessoas que receberam radioterapia envolvendo a medula óssea também podem desenvolver neutropenia.

Muitos medicamentos, incluindo (entre outros) fenotiazina, medicamentos contendo sulfa e muitos medicamentos usados no tratamento do câncer (quimioterapia), assim como certas toxinas (benzeno e inseticidas) também podem prejudicar a capacidade da medula óssea de produzir neutrófilos.

A produção de neutrófilos na medula óssea também é afetada por um distúrbio denominado anemia aplásica (na qual a medula óssea pode parar completamente a produção de todas as células sanguíneas).

Certos distúrbios hereditários raros também causam uma diminuição no número de neutrófilos. Na neutropenia cíclica, o número de neutrófilos aumenta e cai regularmente ao longo de um período de semanas. Na neutropenia benigna crônica, as contagens de neutrófilos são baixas, mas as infecções são raras, provavelmente porque as pessoas produzem números adequados em resposta a infecções. A neutropenia congênita grave compreende um grupo de distúrbios que impedem a maturação dos neutrófilos e as pessoas desenvolvem infecções sérias já a partir da infância.

Sintomas

A neutropenia pode surgir:

Subitamente ao longo de poucas horas ou dias em resposta a certas infecções ou exposições

Gradualmente

A neutropenia propriamente dita não tem sintomas específicos, por isso costuma ser diagnosticada quando ocorre uma infecção. As pessoas podem desenvolver febre e feridas (úlceras) dolorosas ao redor da boca e do ânus. Pode ocorrer pneumonia bacteriana e outras infecções graves.

Na neutropenia crônica, as pessoas podem não ter muitos sintomas se o número de neutrófilos não for extremamente baixo.

Quando a neutropenia é causada por medicamentos, as pessoas podem ter febre, erupção cutânea e linfonodos inchados.

Na neutropenia cíclica, as pessoas podem ter sintomas que vão e vêm à medida que sua contagem de glóbulos brancos sobe e desce ao longo do tempo.

Diagnóstico

Hemograma completo

Exame da medula óssea

Quando as pessoas têm infecções frequentes ou incomuns ou se elas estiverem tomando medicamentos conhecidos por causar neutropenia, os médicos pedem um exame de sangue (hemograma completo) para fazer o diagnóstico. Uma contagem de neutrófilos baixa indica neutropenia.

Em muitos casos, a neutropenia é previsível e a causa é conhecida, como acontece com as pessoas que estão recebendo quimioterapia ou radioterapia. Quando a causa é desconhecida, ela precisa ser determinada. Quer a causa seja conhecida ou não, os médicos geralmente também buscam uma infecção oculta que possa ter sido causada pela neutropenia.

Determinação da causa

Os médicos indagam a respeito de exposição a medicamentos ou a agentes tóxicos e buscam infecções ou outros distúrbios que possam causar a neutropenia. Eles com frequência coletam uma amostra de medula óssea através de uma agulha. A amostra de medula óssea é analisada ao microscópio para se determinar se o seu aspecto é normal, se ela tem um número normal de células-tronco (precursoras) de neutrófilos e se apresenta um desenvolvimento normal de neutrófilos. Ao determinar se o número de células-tronco está reduzido e se elas estão maturando normalmente, os médicos podem determinar se o problema está numa produção defeituosa de células ou se estão sendo utilizadas ou destruídas células demais no sangue. Algumas vezes, o exame da medula óssea indica se outras doenças, como leucemia, outros cânceres ou infecções (tuberculose, por exemplo), estão afetando a medula óssea.

Se houver suspeita de distúrbio hereditário, os médicos podem realizar testes genéticos.

Avaliação de sinais de infecção

Visto que as pessoas com neutropenia podem não apresentar todos os sintomas típicos e achados de exames de uma infecção, os médicos fazem às pessoas perguntas detalhadas sobre seus sintomas e as examinam da cabeça aos pés. São feitos exames para quaisquer achados dignos de preocupação como, por exemplo, se a pessoa sentir desconforto abdominal, pode ser feita tomografia computadorizada (TC) do abdômen.

Mesmo se não houver presença de nenhum outro sintoma, se a pessoa apresentar febre, os médicos normalmente também fazem urinálise e urocultura, hemoculturas e uma radiografia do tórax. Quando os médicos fazem uma cultura, eles tomam uma amostra do material sendo testado (neste caso, urina ou sangue) e a enviam ao laboratório para cultivo de bactérias ou outros organismos que possam estar presentes.

Tratamento

Antibióticos

Medicamentos para estimular a produção de neutrófilos

O importante é tratar qualquer infecção que seja encontrada. Nas pessoas com neutropenia grave, as infecções podem rapidamente se tornar graves ou fatais. Mesmo se os médicos não conseguirem diagnosticar uma infecção específica, presume-se que as pessoas com neutropenia e febre tenham uma infecção. Essas pessoas recebem antibióticos eficazes contra organismos infecciosos comuns.

O tratamento da neutropenia propriamente dita depende da sua causa e gravidade. Os medicamentos que podem causar neutropenia são interrompidos sempre que possível e a exposição a toxinas suspeitas é evitada.

Por vezes, a medula óssea se recupera sozinha, sem tratamento. A neutropenia que acompanha infecções virais (como a gripe) pode ser temporária e se resolver depois de a infecção desaparecer. Pessoas com neutropenia leve em geral não têm sintomas e podem não precisar de tratamento.

As pessoas com neutropenia grave podem morrer rapidamente como resultado de infecção porque seus corpos não têm os meios para combater organismos invasores. Quando essas pessoas desenvolvem infecções, são habitualmente hospitalizadas e recebem imediatamente antibióticos potentes, mesmo antes de a causa e a localização exata da infecção serem identificadas. A febre, o sintoma que geralmente indica infecção em pessoas com neutropenia, é um importante sinal de que são necessários cuidados médicos imediatos.

Fatores de crescimento conhecidos como fatores estimulantes de colônias, que estimulam a produção de glóbulos brancos pela medula óssea, às vezes são úteis e são administrados como uma injeção (sob a pele ou em uma veia).

Corticosteroides podem ajudar se a neutropenia for causada por um distúrbio autoimune. Globulina antitimocítica ou outros tipos de terapia que suprimem a atividade do sistema imunológico podem ser administrados pela veia quando um distúrbio como anemia aplásica estiver presente.

Quando a neutropenia é causada por outro distúrbio (como tuberculose, leucemia ou outros cânceres), o tratamento da doença subjacente pode resolver a neutropenia. O transplante da medula óssea (ou de células-tronco) não é usado como tratamento da neutropenia propriamente dita, mas pode ser recomendado para tratar determinadas causas graves de neutropenia, como anemia aplásica ou a leucemia.

Neulastim 10mg/mL, caixa com 1 seringa preenchida com 0,6mL de solução de uso subcutâneo + dispositivo de segurança (embalagem hospitalar)

Fonte: Por Mary Territo, MD, David Geffen School of Medicine at UCLA traduzido por Momento Saúde