Back

Perda do olfato (Anosmia)

Perda do olfato (Anosmia)

Anosmia o que é

Anosmia é a perda total do olfato. Hiposmia é a perda parcial do olfato.

A maioria das pessoas com anosmia consegue reconhecer substâncias salgadas, doces, ácidas e amargas, mas não consegue determinar a diferença entre sabores específicos.

A capacidade de dizer a diferença entre os sabores realmente só depende do olfato e não dos receptores gustativos da língua.

Portanto, as pessoas com anosmia queixam-se frequentemente de perder seu sentido do paladar e de não sentirem prazer em comer.

A perda de receptores do olfato devido ao envelhecimento resulta em uma menor capacidade de percepção dos odores em pessoas idosas.

As pessoas normalmente percebem mudanças do olfato por volta dos 60 anos. Depois dos 70 anos, as mudanças são substanciais.

Causas

A anosmia que não seja o resultado do envelhecimento ocorre quando um edema ou outro bloqueio das passagens nasais impede que os odores cheguem à área olfatória, ou quando partes da área olfatória ou suas conexões com o cérebro são destruídas.

A área olfatória é onde os odores são detectados e está localizada no alto do nariz.

Causas comuns

As causas mais comuns são:

 

  • Traumatismo craniano (adultos jovens)
  • Infecções virais e doença de Alzheimer (idosos)

Uma causa comum da perda permanente do olfato é um traumatismo craniano, que pode ocorrer num acidente de trânsito.

O traumatismo craniano pode danificar ou destruir fibras dos nervos olfatórios (o par de nervos cranianos que conectam os receptores de odores ao cérebro) que passam na parte superior da cavidade nasal.

Às vezes, o traumatismo inclui uma fratura do osso (placa cribiforme) que separa o cérebro da cavidade nasal. Lesões dos nervos olfatórios podem também resultar de infecções (como abscessos), ou tumores próximos à placa cribiforme.

Outra causa comum é uma infecção das vias aéreas superiores, especialmente influenza (gripe), Covid. A gripe pode ser a causa de até um quarto das pessoas terem hiposmia ou anosmia.

O mal de Alzheimer e alguns outros distúrbios degenerativos do cérebro (como a esclerose múltipla) podem danificar os nervos olfatórios, normalmente causando perda do olfato.

Causas menos comuns

Os fármacos podem contribuir para anosmia nas pessoas susceptíveis. Pólipos, tumores, outras infecções do nariz e alergias sazonais (rinite alérgica) podem interferir na habilidade de sentir odores.

Por vezes, as infecções graves dos seios paranasais ou a radioterapia para o câncer provocam uma perda de olfato ou de paladar, que persiste durante vários meses e pode mesmo tornar-se permanente. Estas condições podem causar lesões ou destruir os receptores do olfato. O papel do tabaco é duvidoso. Um número muito pequeno de pessoas nasce sem o sentido do olfato.

Anosmia ou hiposmia pode ser um sintoma precoce da COVID-19, uma doença respiratória aguda que pode ser grave e é causada por um coronavírus recentemente identificado, oficialmente chamado SARS-CoV-2.

Avaliação

As seguintes informações podem ajudar as pessoas a decidirem se é necessário procurar um médico para uma avaliação e ajudá-lo a saber o que esperar durante a avaliação.

Sinais de alerta

Os achados seguintes são particularmente motivos de preocupação:

 

  • Traumatismo craniano recente
  • Sintomas de disfunção do sistema nervoso, tais como fraqueza, problemas de equilíbrio, ou dificuldade para enxergar, falar ou engolir
  • Início súbito dos sintomas
  • Surto local ou global de COVID-19

Quando consultar um médico

Pessoas que possuem sinais de alerta devem procurar um médico imediatamente. Outras pessoas devem consultar um médico quando possível.

O que o médico faz

Os médicos primeiramente fazem perguntas sobre os sintomas da pessoa e o histórico médico e, em seguida, fazem um exame físico. O que os médicos identificam no histórico e durante o exame físico frequentemente sugere uma causa e os exames que podem ser necessários.

Os médicos fazem perguntas sobre o aparecimento e a duração da anosmia e sua relação com algum resfriado, acesso ou gripe, ou traumatismo craniano. Eles anotam outros sintomas, como uma coriza ou um nariz entupido, e se a coriza é aquosa, sanguinolenta, espessa ou tem mau cheiro.

Os médicos buscam quaisquer sintomas neurológicos, e especialmente os que envolvem uma mudança do estado mental (por exemplo, dificuldade com memória de curto prazo) ou os nervos cranianos (por exemplo, visão dupla ou dificuldade para falar ou engolir). Perguntas sobre o histórico médico da pessoa envolvem distúrbios dos seios paranasais, traumatismo craniano ou cirurgia, alergias, fármacos usados e exposição a produtos químicos ou gases.

Durante o exame físico, os médicos inspecionam as passagens nasais, verificando edemas, inflamação, coriza e pólipos. Os médicos também fazem um exame neurológico completo que é particularmente focado no estado mental e nos nervos cranianos.

Exames

Para testar o olfato, os médicos seguram substâncias fragrantes comuns (como sabonete, uma semente de baunilha, café e cravos) sob os orifícios nasais, um de cada vez.

Então, é solicitado à pessoa que identifique o odor. O olfato também pode ser testado mais formalmente, empregando kits de testes comerciais padronizados de odores. Um kit requer que a pessoa arranhe e cheire várias amostras diferentes de odores e tente identificá-las. Outro kit contém amostras diluídas de soluções perfumadas. Os médicos testam qual a maior diluição das soluções que a pessoa consegue sentir.

Se houver suspeita de COVID-19, é feito um teste viral, e a pessoa é tratada de acordo com os protocolos locais, incluindo diretrizes de quarentena.

Se não houver uma causa clara de anosmia, é feita uma tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM) da cabeça (inclusive dos seios paranasais) para localizar anomalias estruturais (como um tumor, um abscesso ou uma fratura).

Tratamento

Os médicos tratam a causa da anosmia. Por exemplo, uma pessoa com infecções e irritação dos seios paranasais pode ser tratada com inalações de vapor, sprays nasais, antibióticos e, algumas vezes, por cirurgia.

Entretanto, o sentido do olfato nem sempre retorna, mesmo depois de um tratamento bem-sucedido da sinusite. Os tumores são removidos cirurgicamente ou tratados com radiação, mas tal tratamento normalmente não restaura o sentido do olfato. Pólipos no nariz são removidos, algumas vezes restaurando a habilidade de sentir odores. Pessoas que fumam deveriam parar.

Não há tratamentos para a anosmia em si. Pessoas que mantêm algum sentido de olfato podem achar que adicionar agentes flavorizantes concentrados à comida aumenta seu prazer em comer. Alarmes de fumaça, importantes em todas as casas, são mais essenciais para as pessoas com anosmia, porque eles não podem sentir cheiro de fumaça. Os médicos recomendam que as pessoas com anosmia tenham cuidado antes de consumir comida estocada e usar gás natural para cozinhar e nos aquecedores, porque eles têm mais dificuldade em detectar comida estragada e vazamentos de gás.

Fonte: Por Marvin P. Fried, MD, Montefiore Medical Center, The University Hospital of Albert Einstein College of Medicine traduzido por Momento Saúde