Back

Causas da obesidade

Causas da obesidade

Obesidade

A obesidade é o excesso de peso corporal é influenciada por uma combinação de fatores, que geralmente resulta no consumo de mais calorias do que o corpo necessita.

Esses fatores podem incluir inatividade física, dieta, genes, estilo de vida, histórico étnico e socioeconômico, exposição a certos produtos químicos, certas condições e uso de certos medicamentos.

Ser obeso aumenta o risco de muitas doenças, como diabetes hipertensão , doenças cardíacas e certos tipos de câncer, e pode resultar em morte prematura.

O aumento da atividade e a redução da ingestão calórica são essenciais para o tratamento da obesidade, mas algumas pessoas se beneficiam com o uso de medicamentos.

Perder apenas 5 a 10% do peso corporal pode ajudar a diminuir os problemas relacionados ao peso, como diabetes , pressão alta e níveis elevados de colesterol .

 

Índice de massa corporal (IMC)

O índice de massa corporal (IMC) é usado para definir sobrepeso e obesidade. O IMC é o peso (em quilogramas) dividido pela altura (em metros ao quadrado):

  • O sobrepeso é geralmente definido como um IMC de 25 a 29,9.
  • A obesidade é definida como um IMC de 30 a 39,9.
  • A obesidade grave é definida como um IMC de 40 ou superior.

Para asiáticos e alguns outros grupos étnicos, os IMC considerados normais e com sobrepeso são ligeiramente mais baixos.

IMC

O IMC não distingue entre tecido muscular (magro) e tecido adiposo. Assim, com base apenas no IMC, algumas pessoas podem ser rotuladas de obesas quando seu percentual de gordura corporal é muito baixo. Por exemplo, algumas pessoas, como os fisiculturistas, têm um IMC alto porque têm uma grande quantidade de músculos (que pesa mais do que gordura), embora tenham muito pouca gordura. Essas pessoas não são consideradas obesas.

A obesidade está se tornando cada vez mais comum em todo o mundo. Nos Estados Unidos, a obesidade é muito comum. Mais de um terço (36,5%) dos adultos são obesos e mais de 25% das crianças e adolescentes estão com sobrepeso ou obesos. Além disso, a obesidade severa se tornou mais comum.

Entretanto obesidade é muito mais fácil de prevenir do que tratar. Depois que as pessoas ganham peso em excesso, o corpo resiste à perda de peso. Por exemplo, quando as pessoas fazem dieta ou reduzem o número de calorias que consomem, o corpo compensa aumentando o apetite e reduzindo o número de calorias queimadas durante o repouso.

 

Causas da obesidade

Dessa forma a obesidade resulta de uma combinação de fatores, incluindo a oportunidade reduzida de atividade física, o aumento da disponibilidade de alimentos com alto teor calórico e a presença de genes que tornam a obesidade mais provável. Mas, em última análise, a obesidade resulta do consumo de mais calorias do que o corpo necessita durante um longo período de tempo.

Já o excesso de calorias é armazenado no corpo como gordura (tecido adiposo). O número de calorias necessárias varia de pessoa para pessoa, dependendo da idade, sexo, nível de atividade e taxa metabólica. A taxa metabólica de repouso (basal) de uma pessoa – a quantidade de calorias que o corpo queima em repouso – é determinada pela quantidade de tecido muscular (magro) que uma pessoa possui e pelo peso corporal total da pessoa. Quanto mais músculos as pessoas têm, maior sua taxa metabólica.

Alterações nas bactérias que normalmente estão presentes no sistema digestivo (chamadas de flora intestinal) podem aumentar o risco de obesidade. Normalmente, essas bactérias ajudam o corpo, ajudando-o a digerir os alimentos, entre outras coisas. Mudanças no número e nos tipos de bactérias no sistema digestivo podem alterar a forma como o corpo processa os alimentos.

Obesogênios

Obesogênios são compostos químicos que perturbam o desenvolvimento normal e o metabolismo (por exemplo, fumaça de cigarro, bisfenol A, poluição do ar, retardadores de chama, ftalatos, bifenilos policlorados). Ser exposto a obesogênicos no início da vida pode aumentar o risco de desenvolver obesidade.

Tecido adiposo
Tecido adiposo

Inatividade física

A falta de atividade física contribui para o aumento da obesidade. Oportunidades de atividade física foram criadas por avanços tecnológicos, como elevadores, carros e controles remotos. Mais tempo é gasto em atividades sedentárias, como usar o computador, assistir televisão e jogar videogame.

Além disso, o trabalho das pessoas tornou-se mais sedentário à medida que os trabalhos de escritório ou de mesa substituíram o trabalho manual. Pessoas sedentárias usam menos calorias do que pessoas mais ativas e, portanto, requerem menos calorias na dieta. Se a ingestão calórica não for reduzida adequadamente, as pessoas ganham peso.

Dieta

Os alimentos densos em energia, que são alimentos que possuem um grande número de calorias em uma quantidade relativamente pequena (volume), promovem o ganho de peso. A maioria desses alimentos contém mais carboidratos processados, mais gordura e menos fibras. As gorduras, por natureza, são densas em energia. A gordura tem 9 calorias por grama, mas os carboidratos e proteínas têm 4 calorias por grama. Alimentos com alto teor de energia são comuns em países tecnologicamente avançados.

Já os alimentos de conveniência, como lanches ricos em energia oferecidos em máquinas de venda automática e restaurantes de fast food, contribuem para o aumento da obesidade.

Bebidas

As bebidas com alto teor calórico, incluindo refrigerantes, sucos, muitas bebidas à base de café e álcool, também contribuem significativamente. Por exemplo, um refrigerante de 12 onças ou garrafa de cerveja tem 150 calorias, e uma bebida de café de 12 onças (contendo laticínios e açúcar) ou smoothie de frutas pode ter 500 ou mais calorias. O xarope de milho rico em frutose (usado para adoçar muitas bebidas engarrafadas) é frequentemente apontado como sendo particularmente provável de causar obesidade. No entanto, estudos recentes mostram que não é mais provável que cause obesidade do que outros alimentos com um número semelhante de calorias em açúcar.

Restaurante

Porções maiores em restaurantes e em alimentos e bebidas embalados encorajam as pessoas a comer demais. Além disso, restaurantes e alimentos embalados são geralmente preparados de forma a adicionar calorias. Como resultado, as pessoas podem consumir mais calorias do que imaginam.

Genes

A disposição genética vem acometendo  famílias com problemas de obesidade. No entanto, as famílias compartilham não apenas genes, mas também o ambiente, e é difícil separar as duas influências. Os genes podem afetar a rapidez com que o corpo queima calorias em repouso e durante o exercício. Eles também podem afetar o apetite e, portanto, a quantidade de alimentos consumidos. Os genes podem ter um efeito maior sobre o local onde a gordura corporal se acumula, especialmente a gordura ao redor da cintura e no abdômen, do que sobre a quantidade de gordura corporal que se acumula.

Muitos genes influenciam o peso, mas cada gene tem apenas um efeito muito pequeno. A obesidade raramente ocorre quando apenas um gene é anormal.

Distúrbios alimentares

Dois transtornos alimentares estão associados à obesidade:

  • O transtorno da compulsão alimentar periódica é caracterizado por compulsão alimentar – comer grandes quantidades de comida durante um curto período de tempo – e geralmente por se sentir culpado, com remorso ou fora de controle. A maioria das pessoas afetadas não purga (por exemplo, vomitando ou usando laxantes ou diuréticos). O transtorno da compulsão alimentar periódica é diagnosticado quando os episódios de compulsão alimentar ocorrem pelo menos duas vezes por semana durante 6 ou mais meses.
  • A síndrome da alimentação noturna envolve não comer muito durante o dia, consumir muitos alimentos ou calorias à noite e acordar para comer no meio da noite.

Drogas

Muitos medicamentos usados ​​para tratar distúrbios comuns promovem o ganho de peso. Esses medicamentos incluem alguns medicamentos usados ​​para tratar distúrbios psiquiátricos, incluindo depressão ( antidepressivos ), alguns medicamentos usados ​​para tratar a hipertensão ( anti-hipertensivos , como beta-bloqueadores), corticosteróides e alguns medicamentos usado para tratar diabetes mellitus .

Sintomas de obesidade

O sintoma mais óbvio da obesidade é uma mudança na aparência da pessoa.

Mudanças na dieta

Uma alimentação saudável e balanceada para perda de peso requer a redução do número de calorias consumidas e a escolha de uma ampla variedade de alimentos que proporcionam uma boa nutrição.  No entanto, o corpo pode se ajustar à diminuição das calorias (por exemplo, diminuindo a taxa metabólica). Assim, a perda de peso pode ser menor do que o esperado. Ainda assim, consumir uma dieta rica em fibras e reduzir o número de calorias em cerca de 600 calorias por dia e substituir alguns carboidratos por proteínas parece ser a melhor maneira de perder peso e mantê-lo baixo. O peso pode ser perdido mais rapidamente com uma dieta de muito baixas calorias,

As seguintes mudanças na dieta são recomendadas:

  • Comer pequenas refeições e evitar ou escolher cuidadosamente os lanches
  • Tomar café da manhã (pular o café da manhã pode levar ao consumo de muitas calorias no final do dia)
  • Comer 5 ou mais porções de frutas e vegetais por dia
  • Substituindo frutas e vegetais frescos e saladas por carboidratos refinados e alimentos processados
  • Comer proteína magra – por exemplo, peixe ou peito de frango ou proteína vegetal, como soja
  • Mudando para produtos lácteos sem gordura
  • Eliminar bebidas com alto teor calórico, como refrigerante, suco ou álcool, e beber água
  • Limitando o consumo de restaurante e fast food
  • Limitando o consumo de álcool

Mudar de gorduras prejudiciais (como gorduras saturadas e trans ) para gorduras boas, como gorduras monoinsaturadas (em óleos de oliva e canola) e gorduras poliinsaturadas (em peixes de alto mar e óleos vegetais) e limitar a quantidade de gordura consumida.

Comer alimentos com baixo índice glicêmico e alimentos que contenham óleos de peixe (incluindo peixes de águas profundas, como salmão e atum) ou gorduras monoinsaturadas derivadas de plantas (como azeite de oliva) pode reduzir o risco de doenças cardíacas e diabetes .

Produtos lácteos sem gordura ou com baixo teor de gordura, que fornecem vitamina D, devem ser incluídos para ajudar a prevenir a deficiência dessa vitamina.

Usar substitutos de refeição, regularmente ou de vez em quando, pode ajudar algumas pessoas a perder peso e mantê-lo fora.

Atividade física

O aumento da atividade física pode ajudar as pessoas a perder peso de forma saudável e mantê-lo fora. A atividade física inclui não apenas exercícios (ou seja, atividade física estruturada), mas também atividades de estilo de vida, como subir escadas em vez do elevador, fazer jardinagem e caminhar em vez de dirigir, quando possível. As atividades do estilo de vida podem queimar um número considerável de calorias. Pessoas que não praticam exercícios durante a dieta têm maior probabilidade de recuperar o peso que perderam.

Exercícios aeróbicos, como corrida, caminhada rápida (3 a 6 quilômetros por hora), ciclismo, tênis para solteiros, patinação e esqui cross-country, queimam mais calorias do que exercícios menos ativos. Por exemplo, uma caminhada vigorosa pode queimar cerca de 4 calorias por minuto, de modo que 1 hora de caminhada rápida por dia queima cerca de 240 calorias.

Já a  corrida, queima cerca de 6 a 8 calorias por minuto (cerca de 360 ​​a 480 calorias por hora). Como um guia geral, as pessoas precisam caminhar pelo menos 150 minutos por semana para promover a saúde. Para perder peso e mantê-lo fora, as pessoas precisam gastar 300 a 360 minutos por semana fazendo atividade física moderada ou 150 minutos por semana fazendo exercícios aeróbicos vigorosos (como correr ou usar uma máquina elíptica). Outros benefícios para a saúde de exercícios aeróbicos vigorosos incluem reduzir o risco de doença arterial coronariana e aumentar a resistência.

Para obter o máximo benefício do exercício, as pessoas devem fazer treinamento de força (com pesos ou outra forma de resistência) cerca de 3 dias por semana. O treinamento de força aumenta a quantidade de tecido muscular, o que aumenta a taxa metabólica, de forma que o corpo queima mais calorias quando em repouso.

Tratamento

Uma perda de peso bem-sucedida requer motivação e um senso de prontidão. As pessoas mais bem-sucedidas têm objetivos realistas e reconhecem que a perda de peso saudável só pode ser alcançada com mudanças de estilo de vida ao longo da vida, em vez de uma solução mágica ou dieta da moda que não pode ser sustentada.

Buscar o apoio de profissionais de saúde, como nutricionistas ou médicos, pode ser benéfico. O apoio de familiares também é crucial.

Tratamento Online

O Hospital Consulta Online (HCO) é um portal especializado em telemedicina que tem como objetivo ajudar empresas, médicos e pacientes a se conectarem através de sua tecnologia de telemedicina com uma equipe multidisciplinar.

Para acessar é só clicar no link

https://hospitalconsultaonline.com/agendamento